quinta-feira, 22 de março de 2012

Semana de Acolhimento na UFPA


Começar de novo...


Desde o final do ano passado que estou devendo a mim mesmo, uma postagem sobre a nova caminhada profissional, que agora enceto como professor da UFPA


Não que com isso queira me exibir, ainda que me orgulhe sobremaneira de fazer parte desta que é a maior e mais importante universidade federal do Norte, com mais de 54 mil alunos, 11 campis e 700 cursos em todo estado. Mas, e sobretudo,  quero mostrar que a gente não deve ter medo de recomeçar na profissão (na mesma ou noutra), mesmo após 30 anos de exercício efetivo.   


Alguém já deve ter dito que ser professor é um eterno aprender, e "viver é não ter a vergonha de ser feliz..." (Gonzaguinha). E ser feliz é um constante aprendizado. Eis que, ao me aposentar da SEDUC me aventurei num concurso para a UFPA, e ingressei na Escola de Aplicação da UFPA. 


Nessa semana que finda, no período de 19 a 22, a PROGEP-Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoal, da Universidade Federal do Pará, está realizando a Semana de Acolhimento Institucional dos Novos Servidores, uma novidade na instituição.

Com uma vasta e diversificada programação, a Semana contou com a presença do Magnífico Sr. Reitor, Carlos Maneschy, que deu as boas vindas aos novos  técnicos e professores da instituição. 

Os temas tratados nas palestras foram de real interesse do novo funcionário e satisfizeram a curiosidade quanto a questões como: a organização da instituição, progressão funcional, plano acadêmico, saúde e qualidade de vida do servidor, aposentadoria entre outros temas de caráter técnico-administrativo apresentados pela ró-Reitoria de Administração.

Um dos momentos de descontração e grande satisfação dos presentes ficou a cargo da apresentação do Grupo de Teatro Universitário e de dois professores, Marcelo Thiganá e João Borracha. O primeiro é famoso professor de dança de salão e empresário do setor, e o segundo, consagrado na área da fisioterapia e ginástica laboral em Belém. Ambos promoveram atividades que descontraíram e instruíram o grupo, e muito agradou a todos.

Um comentário:

Prof. Adinalzir disse...

É isso aí, meu caro Franz!
Ensinar será sempre um exercício de imortalidade, de modo que o professor que está dentro de nós não morrerá jamais. Te desejo os melhores votos de sucesso nessa nova caminhada. Um grande abraço!

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum