domingo, 6 de dezembro de 2009

Água não tem cabelo...

Nessas paragens amazônicas nem sempre é de carro ou ônibus que os trabalhadores se deslocam para seus locais de trabalho ou que alunos vão para suas escolas. Mesmo aqui em Belém, a capital paraense, existem regiões que só se vai de barco ou de casquinho, as pequenas canoas cujas bordas ficam apenas a dois dedos do nível da água. Cá entre nós, não sei como os ribeirinhos têm coragem de nagevar pelos grandes rios e igarapés com essas frágeis canoinhas. E para quem não sabe, nessa região os rios são os caminhos, mas eu não entro numa delas nem com reza braba...

Contudo, como canta o poeta Rui Barata: "este rio é minha rua..." E este blog é minha rua...

 Há diversas ilhas que fazem parte da região administrativa da capital paraense, com pequenas escolas ou unidades pedagógicas cheias de estudantes que precisam receber educação e formação escolar. Uma dessas escolas é a Unidade Pedagógica da Faveira (clique no link ao lado para saber mais) que fica na ilha de Cotijuba, distante cerca de 1 hora de barco do porto de Icoaraci, distrito do município de Belém, a cerca de 30 minutos do centro da cidade. Na semana passada fui visitá-la, a trabalho.

A Unidade Pedagógica da Faveira é um anexo da Escola Bosque, localizada em Icoaraci, e diariamente os professores devem fazer uso de um barco fretado pela prefeitura para fazer a travesia da Baía do Marajó.

Cheguei  ao porto em Icoaraci  por volta das 7h da manhã e o pequeno cais estava cheio de passageiros. Qual a nossa surpresa ao ver que um incidente havia tombado o pequeno cais flutuante, que estava inclinado e quase totalmente submerso. Diversos barcos pesqueiros de pequeno porte, e pequenos barcos de passageiros, estavam atracados diretamente na rampa de acesso, ou amarrados uns aos outros. Isso obrigava as pessoas a passarem de um barco a outro até atingir o cais.

Encontrei um grupo de uns 15 professores da rede municipal que aguardavam o barco para a escola da Faveira. O barco chegou e embarcamos. No slideshow a seguir você encontrará algumas cenas dessa viagem. Passe o mouse nas fotos para identificar as imagens. (Infelizmente, o site Slide.com foi desativado e os projetos que fizemos desapareceram - o autor, outubro/2013)



Um comentário:

LITERAGINDO disse...

Excelente postagem, Franz!
Necessitamos dar visibilidade e esperanças aos projetos pedagógicos parceiros da comunidade educativa, alunos, professores, a escola, suas famílias devem continuar recebendo visitas tão importantes como essas.
A informática educativa com internet necessita ampliar as alternativas e promover ainda mais as aprendizagens. Boa iniciativa!
Maria do Rocio

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum