quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

ESTABILIDADE & APEGO

A vida vem em ondas como o mar... (Lulu Santos)
Uma das coisas que o humano ser busca com mais persistência e determinação é  ES-TA-BI-LI-DA-DE. Estabilidade está associada a um conceito de resistência. Nesse caso, a estabilidade é a resistência que o indivíduo tende a apresentar para permanecer numa determinada situação ou estado satisfatório; em manter a segurança e o bem estar adiquiridos, em conservar o status quo.

Algumas pessoas odeiam mudanças. Se apegam de tal forma ao emprego, ao carro, a casa, aos amigos, ao ser amado, aos bens que possuem, ás coisas e títulos que conquistaram, que têm verdadeiro pavor que essas coisas acabem. Não percebem que "nada do que foi será de novo do jeito que já foi"; ou como disse Heráclito: nada é permanente a não ser a mudança; tudo que nasce tem seu tempo determinado, tem seu ciclo de existência. Minha mãe dizia que não há bem que sempre dure nem dor que nunca acabe.

Daqui não saio, daqui ninguém me tira
O apego faz a pessoa achar que pode lutar contra o destino, não querer abrir mão do "meu" em detrimento do "nosso". O apego faz o sujeito ser mesquinho, não o deixa perceber que tudo flui initerruptamente, que "a vida vem em ondas como o mar". Você já tentou peitar uma onda no mar? O que aconteceu? Ela te derrubou e você rolou pela areia, né? O apego gesta o egoísmo Eis porque todo apego traz e gera sofrimento...

Ano novo, vida...
Para muitos o ano de 2011 começou trazendo sofrimentos, dor, perdas da estabilidade material e emocional. Por exemplo: enchentes e deslizamentos de terra ocorridos na região serrana do Rio de Janeiro destruiram o patrimônio de milhares de pessoas, ceifaram centenas de vidas, atingindo ricos e pobres; em Belém, há poucos dias caiu, ou melhor, desabou, desmoronou feito castelo de cartas, o Real Class, um edifício de 34 andares que estava em fase de acabamento, com apartamentos custando 500 mil reais. Para as pessoas afetadas por tais tragédias, o ano novo trouxe, literalmente, um novo começo ou recomeço. Nesse caso vale o ditado "Ano novo, vida nova", mas vou propor uma alteração: ano novo, vida renova.

Mas estabilidade não é feita de concreto e aço, nem está na riqueza e na fama. Ela não está no carro novo que você comprou, no bom salário que você ganha todo mês, nem na bela casa que construíu e habita. Ela está no sentimento que une as pessoas. A estabilidade é feita de amor. Quanto maior for o amor que une um casal, p.ex., maior sua estabildade para enfrentar os revéses. No edifício que desabou em Belém havia um jovem casal que passaria a lua-de-mel no novo lar... Os planos foram adiados. Mas vi pela reportagem que eles estavam tranquilos, pois o importante não era ter um belo apartamento, mas ter um ao outro. Esse sim, era seu ponto de partida e chegada.

Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu
É claro que a pessoa sofre com perda e recomeço, mas é o amor (é só o amor...) que dá forças para se erguer após a queda; reconstruir. É pela estabilidade do amor que você pode re-co-me-çar: "Começaria tudo outra vez, se preciso fosse meu amor..." (Gonzaguinha). 

Casais se separam, entes queridos se vão, construções desabam, sonhos desfazem-se como fumaça ao vento. Tudo acaba e tudo se renova... Vinicius de Moraes, nosso poetinha (nele esse diminutivo é mais que superlativo absoluto sintético), dizia com a sabedoria e profundidade dos poetas: que seja eteno enquanto dure. Por isso, deixo a vida me levar... Deixe a vida lhe levar.

4 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

É isso aí, a estabilidade é feita de amor. E sem o amor não somos nada. Parabéns pela sensibilidade do texto!

Nade disse...

Concordo com você...
Às vezes, a busca por estabilidade é estar resistente às mudanças e acaba se esquecendo que mudanças também podem ser muito positivas, mesmo que num primeiro momento pareça um risco.
Mas se não arriscar, como vai se saber se daria certo.
Ter planos, sonhos, ideais... Mas ter fé também faz com que tenhamos coragem de deixar a vida nos levar!
Belo texto!
Como tava com saudades daqui... Estou voltando, depois de uma boa temporada fora da blogosfera.
Um excelente domingo pra você, viu!
Bjs

Nade (Conheça meu novo blog, o Diário de Bordo)

Franz disse...

Oi, Adinalzir. É só o amor, meu amigo, que pode promover a mudança no ser humano e no planeta, conseguentemente.
Amemo-nos, incondicionalmente

Franz disse...

Nade, muito obrigado por retornar a passear por Esta Rua que é meu Blog. Fé é uma forma de amor, e é o amor que nos dá coragem

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum