quarta-feira, 23 de junho de 2010

Quer ver o bom de uma leitura?

Essa é para meus colegas professores de Língua Portuguesa e Literatura, para os que cuidam de Salas de Leitura e Bibiotecas, e para todos que gostam de rir. Se é seu caso, aqui vai uma sugestão de boa leitura.

Mas você sabe o que é uma boa leitura? É uma leitura daquelas que desopilam o fígado, leitura que deixa a alma leve, lavada, enxaguada e posta a quarar no Sol da satisfação; que faz brilhar os olhos com o colírio da emoção e fica fazendo cócegas na nossa imaginação.

Leitura boa é aquela que quando você abre o livro e vira a página parece que abriu a porteira de um pasto imenso e a boiada das letras corre pela passagem e a gente só consegue fechá-la quando toda boiada passa deixando aquele rastro na terra pisoteada e marcada de liberdade no curral do coração.  Ou quando as palavras encarrilhadas são como bois 'empareados' que vão puxando um carro de boi cantadô, gemente, lamentoso, que te leva por caminhos de terra de gente e bicho, e que nesse conversar de madeira te segreda coisas do estradar. 

Leitura boa é como águas de cachoeira: nunca vêm só, como rio que corre em paciência e silêncio ou lago que na mansuetude esconde mistérios. Águas de cachoeira só tem valor quando bate nas pedras, que não são obstáculos no seu caminho mas adornos.

Leitura boa como águas de cachoeira é aquela que bate e rebate por dentro, faz barulho, redemoinha emoções. Como a cachoeira ela também traz alegria pros olhos,  é gostosa de se ouvir, prazerosa de estar dentro e de se banhar.

É isso que sinto lendo Bandeira Nordestina, o novo livro do poeta paraibano Jessier Quirino (www.jessierquirino.com), que me chegou pelo correio ontem à noite, e no qual estou grudado feito craca em casco de navio velho ou ostra em pé de ponte, desde então.
 
Jessier Quirino é um arquiteto que faz poesia popular no jeito rústico do matuto, na linha do cordel, mas feita  para divertir.  Ele faz uma poesia sertaneja de forma bem mais criativa, onde as ricas expressões populares do homem do interior do nordeste são expostas com tamanha naturalidade, humor, leveza, simplicidade e beleza cabôcla que não há quem fique indiferente às magníficas imagens que ele cria no linguajar personalissimo do tabaréu.  No google você pode encontrar várias referência e cópias de seus trabalhos, de suas apresentações.
 
Penso que seria muito interessante trabalhar essas ricas e originais expressões regionais em atividades  de sala de aula. Fica ai a sugestão, ou sugestões,

9 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

Caramba! Seu texto me instigou tanto, que até me deu vontade de ler o livro. Como faço para conseguir um exemplar?

Abraços, :-)

Max Martins disse...

Excelente texto, professor!
Muito bom mesmo.

A boa leitura nos leva com ela por suas páginas, paisagens, situações e personagens.
A boa leitura mexe com os nossos sentidos, apazigua ou nos inquieta, mas não ficamos indiferentes.

Forte abraço!

Franz disse...

Oi, amigos Adinalzir e Max. Obrigado pela visita.
Para quem gosta das coisas simples do povo, do folclore e ditos populares, do linguajar do cabôclo, mormente do povo do Nordeste, a leitura de JQ é magnífica. Instrui e diverte, na medida certa.
Para comprar os livros do J.Quirino ou conhecer mais sobre ele, entre em seu site(http://www.jessierquirino.com).
O livro custa R$ 25,00+8,00 de correios, mas enquanto isso vc pode ver o Jessier no JÕ Soares, via YouTube, Confira e garanto que vão rir um bocado.

Florzinha disse...

Amigo Franz, vc é surpreendente!Esse post em especial me tocou, imagine o motivo?O bom de uma leitura certamente é isso, mas o bom mediador dela se revelou nas suas linhas.Vou já conhecer o Quirino.

Franz disse...

Oi, Florzinha, como vai? Quanto tempo, heim? Bom receber seu comentário. Crei que vc vai gostar dos textos do JQ, muito bom para quem gosta de contar e ouvir histórias.
Bjs fraternos

Minha Biblioteca,meu cantinho disse...

LER É UM GRANDE PRAZER, EU NÃO SEI FICAR SEM LIVRO E ADORO SUGESTÕES PRINCIPALMENTE ASSIM CARREGADAS DE ARGUMENTOS TÃO POSITIVOS. QUE BOM !

Max Martins disse...

Olá, Franz

Passando de novo por aqui para avisar que fiz um link para esse post na minha última publicação "Você tem o hábito de ler? Incentive a Leitura", pois complementa o assunto em questão.

Abraços

Cartas de Julieta disse...

Nunca ninguém escreveu de forma tão poética sobre o bom hábito da leitura.

Depois de ler o texto senti um desejo enorme de viajar através do mundo dos livros. Leitura boa é essa que nos motiva e apaixona transformando o nosso caminhar... Obrigada!

Franz disse...

Obrigado pelos elogios, "Cartas de Julieta". Volte sempre.

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum