quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

UM DRAMA EM BELÉM -

MICRO CONTO
O microconto não é considerado um gênero literário gênero, mas um estilo de narrativa que prima pela síntese, pelo minimalismo. Contudo, como forma de escrever e contar uma história em poucos caracteres ou poucas palavras, muitas vezes apenas numa frase, é uma arte inquestionável.
Embora velhos e consagrados escritores como Tolstói, Kafka, Cortázar, Heminway, Dalton Trevissan e Lygia Fagundes já tenham cometido alguns, é um estilo relativamente jovem, surgido a partir dos anos 1990.
Os microcontos me lembram os Picles, aquelas frases humorística que li pela primeira vez n’O PASQUIM em 1969, e que exigia tanto de quem criava quanto de quem lia uma boa dose de imaginação.

Alguns exemplos de microcontos:
“Fui me confessar ao mar. O que ele disse? Nada.” Lygia Fagundes Telles
“Quando acordou o dinossauro ainda estava lá.” Augusto Monterroso
“Uma vida inteira pela frente. O tiro veio por trás.” Cíntia Moscovich
“Vende-se: sapatinhos de bebê nunca usados.” Ernest Hemingway
“2 de agosto: a Alemanha declarou guerra à Rússia. Natação à tarde.” Franz Kafka
“Alzheimer: conhecer novas pessoas todos os dias.” Phil Skversky
"Eu robô" disse o andróide, entregando-se à polícia". Carlos Seabra

Bem, num nível de analogias, podemos dizer que os microcontos são como as pequenas pílulas de vida do Doutor Ross (quem lembra?); mas eu, particularmente, prefiro algo um pouco maior, mas não como supositórios, como as cápsulas. Por isso gosto de escrever microcontos com exatas 100 palavras.

Aliás, estou participando do V Concurso Internacional de Microrrelatos "Museo de la Palabra", promovido pela Fundación César Egido Serrano, que exige microcontos com até 100 palavras. Este abaixo não está participando. Vamos torcer...

UM DRAMA EM BELÉM
Olhou pela janela e o que viu causou-lhe um estremecimento. Saiu do consultório cautelosa e apreensiva: sabia-se desprotegida e ele estava ali, perto, muito perto. No momento em que pisou na calçada um som conhecido cai sobre ela como que descido do alto dos edifícios, do topo das mangueiras. Assustou-se. Daria tempo? O som aumentou. Apressou o passo... Ele também aumentou. A salvação estava há uns 100 metros. Correu. Ele nos calcanhares. Já podia sentir seu toque de vez em quando. Era forte. No exato instante que entrou e bateu aporta do carro o temporal lhe chegou. Sorriu...

Nenhum comentário:

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum