terça-feira, 31 de agosto de 2010

Cenas de Belém 5

Essa postagem faz parte da série "Cenas de Ruas de Belém", que tenho tentado fazer nos últimos meses, sempre no último dia do mês.
 
BELA BELÉM, EU TE QUERO BEM!

Carissímos leitores, chegamos ao fim de mais um mês, com as contas chegando, os boletos bancários e carnês quase vencendo e as coisas ficando mais caras.  Segundo o IBGE, "Belém encabeça a lista das capitais com custo de vida mais alto do Brasil" (Fonte: Portal ORM), "entre janeiro e julho deste ano, a inflação acumulada é de 3,36%" (Fonte: Vermelho). E faltam apenas 5 semanas para o Círio de Nazaré e 4 meses para o Natal. 




Enquanto isso, aqui na Mangueirosa de Raimundo Mário Sobral, o calor ataca e o morador de rua dorme (e provavelmente sonha com dias melhores) embaixo de um caminhão, que por sua vez foi estacionado à sombra de uma mangueira.

E onde não tem sombra vale um gostoso mergulho num balde.

Belém, a terra das Mangueiras, também tem outras árvores frondosas plantadas em suas calçadas, como é o caso das castanholas (amendoeiras) e  ficus. Alguns estão sendo retirados porque suas raízes destroem as calçadas. Este da foto está próximo a entrada do estacionamento da Estação das Docas, e estava  sendo retirado. 

sábado, 28 de agosto de 2010

Cultura Tradicional e Digital no Diálogo Amazônico


Panorâmica do Hangar
Começou ontem a XIV Feira Pan-Amazônica do Livro, no Hangar Centro de Convenções, que neste ano homenageia os países africanos lusófonos. Este blogueiro só pode visitá-la a partir de hoje, participando das programações do Espaço de Cultura Digital, uma realização da Rede Paraense dos Pontos de Cultura, em parceria com a SECULT, Fundação Curro Velho, Movimento de Valorizaçao da Cultura de Icoaraci-MOVA-CI, NavegaPará, Rádio Amnésia e outros. Eu e minha mulher Lenise (Leca para os íntimos) participamos como representantes do Ponto de Cultura Mururé e  como membros do Conselho Gestor do Infocentro Iaçá.

Dentro da programação desse espaço acontecem as Rodas de Conversa e oficinas. Estas últimas oferecem temas como "Como Montar sua Rádio Livre", "Edição de Vídeo", "Blogs: Criação de Idéias, Expressão e Conteúdo", "Mídias Sociais - Plataforma de Propagação Cultural" dentre outras. E todas em Software Livre. As Rodas de Conversa trazem temas e personagens da cultura popular, da tradição oral paraense.

O tema da Roda de Conversa de hoje foi  "Mestres da Cultura Popular", que foi um gostoso bate-papo com alguns responsáveis pela perpetuação de algumas das manifestações culturais significativas do folclore paraense, como os Bois, Pássaros, Sairé, Pastorinhas e grupos parafolclóricos. Todos hoje estão associados a algum ponto de cultura, como Zé do Boi, do Grupo FLOR DO CAMPO, do Ponto de Cultura GAM, de Marabá; Dona Iracema Oliveira, do Grupo Parafolclórico FRUTOS DO PARÁ e representante do PC "Lembrança do Velho Chico; Dana Catarina, do Grupo de Pássaros ONCINHA e do Ponto de Cultura "A Bruxa tá Solta" e o artista e músico santareno Chico Malta, representando o PC de Alter-do-Chão. 
 
Aliás, foi Chico Malta quem envolveu a todos numa dinâmica interessante, ao som destes seus versos:
Se eu soubesse que tu vinhas
Mandava varrer a estrada
Pingava pingos de cheiro
Sereno da madrugada

Para encerrar o dia, assitimos a palestra-show do mestre Ariano Suassuna. Esta foi a quarta vez que ele participa da Feira do Livro e a terceira que eu assito. Coisa de fã... Amanhã tem mais feira, mas oficinas e roda de conversa... Então, inté!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Vote no ELEITOR

Eu não suporto a "politicagem" - a política de sacanagem - ou "politicalha" - a política canalha - que impera neste país. Por isso quero apresentar quem eu acredito que pode mudar o quadro medonho da política nacional.

Mas antes me responda, você ainda acredita nalgum Candidato? Já não está cansado/a de Candidato enganando Eleitor?

Não acha que quando chega época de eleições é sempre a mesma ladainha no Horário Eleitoral (que a turma do Casseta chama de "Otário Eleitoral" e o Zé Simão de "Hilário Eleitoral"): um bando de candidatos oportunista e cara-de-pau, fazendo promessas que, quase sempre, nunca irão cumprir?

Todo Candidato diz que quer continuar representando/irá representar o Eleitor na Câmara ou no Senado. Diz que será a VOZ do Eleitor no Legislativo ou no Judiciário, que isso que aquilo...

Agora me responda: Quem merece o seu voto é o Candidato?

Não! Pense comigo: se é para colocar o Eleitor no Legislativo ou no Judiciário, porque votar nesses Candidatos? Por que não eleger o Eleitor?

É por isso que estou aqui pedindo seu voto... Quem merece seu voto sou EU! Meu nome é ELEITOR. Meu número é o 3,14159PI, e meu partido é o PEBA - Partido do Eleitor Brasileiro Anti-políticagem.
 Eleitor vota em ELEITOR. Este sim, é quem tem ficha limpa!

  Vote em Eleitor!  Eu sou você amanhã... 

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ser professor é coisa pra doido?

Ser professor não é fácil, inda mais face aos desafios impostos pela sociedade teccnológica. Muita gente até pode pensar que ser professor é uma profissão como outra qualquer mas, sinto decepcionar, não é! Surpresos? Explico:

Um trabalhador normal chega no trabalho, cumpre suas 8 horas de atividade, encerra o expediente e vai embora. Mas para ser um professor a pessoa tem que ser meio, ou totalmente, maluca. Maluca porque tem que, muitas vezes, aceitar trabalhar num ambiente desfavoravel - senão adverso às suas finalidades especificas - ao cumprimento de sua atividade profissional.

Além de atuar como um profissional da educação, ainda tem que agir como psicólogo, babá, entre outras funções em sala de aula. E, como não bastasse uma jornada muitas vezes maior que 8 horas por dia, ainda leva trabalho para casa... Quem não conhece exemplo de professor/professora super dedicados aos alunos, que chega a por dinheiro de seu bolso para ajudar o colégio? Eu conheço uma professora que compra brinquedos, livrinhos e brindes para  dar aos seus alunos durante as atividades pedagógicas que realiza.

Outros são dedicados ao trabalho que esquecem de cuidar de si.  Juscelino, um grande amigo meu é assim. Ele é funcionário do estado e do município de Belém. Há dois anos assumiu a coordenação do NTE Washington Lopes de Belém, que estava  quase entregue às baratas pela gestão passada,. Para tentar mudar aquela realidade ele tirou suas férias no município e se dedicou integralmente ao trabalho no NTE. Fez um excelente trabalho, e foi retirado da coordenação. Faz duas semanas foi internado às pressas numa UTI, pois descobriu que estava com os rins seriamente comprometidos. Desde então faz hemodiálise dia sim, dia não...

Ser um professor comprometido é coisa pra doido, minha gente, porque só sendo doido  pra acreditar tanto em algo, se esforçar tanto, se dedicar tanto... por tão pouco.

Por isso, com essa postagem quero homenagear meu amigo Juscelino Hernandez,  pedindo ao Criador que lhe conceda saúde e muitos anos de vida para  curtir seu filho de apenas 1 ano.  E também  parabenizar todos os companheiros de NTE,  esses malucos que não desistem de acreditar que o computador pode promover a tão ansiada  melhoria na educação pública paraense.

Ser Professor é coisa pra doido?- II

Quando comecei a lecionar na Secretaria de Estado de Educação-SEDUC/PA, há cerca de 30 anos, era recém-casado e com as obrigações próprias dessa condição, então trabalhava em 3 turnos e em três escolas diferentes (entre públicas e privadas), como tantos outros colegas. 

Por sorte que aqui em Belém os bairros são pequenos e, mesmo de ônibus, tudo é relativamente perto. Eu saía de casa 6 e pouco da madruga e retornava perto da hora do lobisomem. E como todo bom operário, ás vezes levava a marmita e comia aquela bóia fria...

Pior era na época de avaliação? Com tantas turmas e centenas de alunos, quando chegava a época das avaliações era tanta prova, tanto trabalho de aluno, tanto papel pra carregar, que de bóia-fria virava estivador.  E lá se ia um final de semana ou mais para corrigir tanta prova e lançar notas na caderneta.  Ás vezes, para adiantar, eu  lia os trabalhos ou provas dentro do ônibus, enquanto ia de uma escola pra outra, mas quase sempre minha mulher ajudava...

Trabalhando muito e me alimentando mal ganhei uma pequena úlcera, e uma vez na escola quase quebrei o pé. Aí decidi que não valia a pena trabalhar tanto e ganhar um POUCO mais, pra depois gastar com remédios. Então, reduzi um pouco o rítmo e diminuí a carga horária para 240h mensais,  mais tarde para 200h, e assim passei mais de uma década.

Em 1998 entrei para o NTE, e passei a trabalhar com a formação de professores no uso pedagógico de computadores em rede e das TIC na Educação. Voltei a me empolgar com a educação. Podia jurar que todos professores acorreriam ao NTE ansiosos para aprender como utilizar os novos recursos tecnológicos para melhorar suas aulas e promover um aprendizado mais eficiente de suas disciplinas. Acreditava que todos os professores brigariam para oferecer aos seus alunos uma aula mais interessante e dinâmica, mais produtiva, com os computadores das Salas de Informática Educativa (SIE) montada em suas escolas pelo Proinfo... mas o que ainda se vê é uma resistência absurda!

Agora trabalho 12 horas por dia (ás vezes mais) tentando convencer outros professores (e mesmo diretores) de que é seu dever trabalhar em parceria com o professor de SIE e de elaborar atividades de sua disciplina para serem executadas pelos alunos no computador. Tento mostrar  que o computador, e todo potencial multimidiático que ele proporciona,  é o instrumento que veio revolucionar a educação; que é a ferramenta capaz de promover a tão proclamada transdiciplinaridade; que pode promover  a autonomia e ontonomia do indivíduo pelo empoderamento da informação e da construção de conhecimento que isso gera; que a informática na educação é isso..., que as TIC aquilo...; que o professor que não oportuniza o acesso de seus alunos a essas tecnologias ou que não busca melhorar suas aulas com tais recursos está sacaneando seus alunos; que...

Voltei a passar do horário, a trazer serviço pra casa, a passar fim de semana pesquisando, preparando projetos, elaborando apostilas e, às vezes, tentando dar meu recado a outros professores em algumas postagens muito pouco lidas nesse blog...

Agora estou prestes a me aposentar. Não me sinto cansado de fazer o que faço, e o que é pior... eu gosto do que faço. Será que sou doido?

Postagens Relacionadas

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Mais de 8 mil títulos para Download

Para que está seguindo a série de postagens sobre Educação Matemática e Numerologia, peço que não estranhem porque não postei a última parte, que é a que traz o significado dos números à luz da Numerologia. Em breve farei a prometida postagem. 

Enquanto isso convido você professor de Português e/ou de literatura, ou você que gosta de ler, a conhecer um projeto muito bacana desenvolvido na Escola Estadual Coronel Sarmento. É o Projeto Minha Biblioteca, Minha Vida (Veja AQUI). Trata-se de uma iniciativa do professor Heraldo Meireles, de Português e Literatura. Ele criou um site que traz mais de 8 mil títulos disponíveis para Download.

O site também traz a imagem e biografia de 100 personagens que marcaram a História, bem como 284 áudio livros com obras clássicas e poemas lidos por grandes atores (como Miguel Falabela, por exemplo). Há, ainda, 22 contos em vídeos, interpretados por grandes atores, e mais 144 lindas histórias infantis. 

Tudo isso você pode obter digrátis acessando o endereço HTTP://BIBLIOTEKA.HD1.COM.BR. Não deixe de visitar. Garanto que você vai gostar.
 Parabéns professor Heraldo Meireles!
No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum