terça-feira, 30 de novembro de 2010

E lá se vai mais um...

Saudade é uma coisa estranha. Bate derepente e por qualquer motivo, ou mesmo sem motivo aparente (pelo menos no consciente). Eu, que tenho uma filha morando com a mãe (a Madaya), outra em Salvador (a Keith), um filho morando em Belo Horizonte (o Arcthur), irmã e irmão em Nova Iguaçu (RJ); irmã e irmão em Maceió (AL), vivo em perene sentimento de saudade.

Mas não pense que saudade é coisa ruim. Saudade é coisa boa! Existe para nos recordar de que vivemos bons momentos; de que pessoas se tornaram importantes em nossas vidas; que parentes, amigos, lugares e momentos distantes não são marcas do que se foi, mas do que fomos e do que somos.

Cada uma dessas pessoas que compartilharam nosso universo pessoal, cada um desses lugares e momentos recordados, são os retalhos  que formam o que somos: somos uma colcha de retalhos inconsútil, formada por fragmentos das interações que vamos entretecendo ao longo da vida.

Um dos locais onde tais interações se tornam mais sólidas e dinâmicas é no ambiente de trabalho. Ali estamos sempre assistindo a chegada de novos companheiros - talvez futuros velhos amigos - e, às vezes, se entristecendo com a partida de bons e "velhos amigos".

Em maio do ano passado o prof. Mário Thomaz Neto, um dos meus mais fraternos amigos do Núcleo de Tecnologia Educacional Prof. Washington Lopes,  "partiu fora do combinado" - como diz Rolando Boldrin -, e há cerca de 1 mês partiu o Fernando, outro companheiro do NTE. 

Em dezembro de 2008, por ocasião da última confraternização realizada pela equipe do NTE, foi tirada essa foto... Sinto saudade dos amigos, mas não tenho pressa alguma em encontrá-los.(RSss...) 

6 comentários:

Bernadete disse...

É bom sentir saudades! Sinal de saúde, paz e harmonia com o mundo ...

lucidreira disse...

Isso para nós que temos nossos anti queridos morando fora do nosso aconchego, eu por ex. tenho uma filha morando em Rio Grande do Sul Esteio, irmã e sobrinhos no Rio de Janeiro RJ., cunhada e sobrinhos em Mossoró RN. Primos e primas em São Paulo SP. e ha pouca mais de um mês foi meu sobrinho que se foi lá para junto do Pai eterno, sentimos sim essa saudade e relembramos com carinho tudo que passamos juntos.
Isso é bom, sentir essas coisas de saudades.
Abraço

Léa Paraense Serra disse...

O próximo da foto? Com certeza, pois os dois já se foram. Quanto ao tempo, há de demorar. Desejo-lhe muitos anos.

Sobre saudades, é bom sentir mesmo, até de quem não voltará mais...

Abraço.

Franz disse...

Oi, Bernadete, Lucideira e Léa, obrigado pela visita.
É, a saudade sempre chega quando alguém se vai. E todos se vão. Eu tb. serei só saudade um dia.

anonimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ericsiqueira disse...

Olá Franz,

Muito bom ler suas postagens. Tem uma linguagem simples e objetiva.

Esperamos que este dia não chegue tão rápido.
Abraço.

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum