quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Uma entrevista, um perfil e algumas considerações sobre Educação

Sempre que visito um blog, busco ler sobre quem é o blogueiro. Ainda que o blog seja, todo ele, uma fonte de informações sobre o seu proprietário, gosto de saber um pouco mais sobre esse cabra que atraiu minha atenção com seus textos, seu trabalho etc. Se você é como eu, talvez essa postagem lhe interesse.
Faz algum tempo fui convidado a fazer uma entrevista para o Whohub, que é um diretório de entrevistas com profissionais da comunicação, artes, tecnologia, marketing e, em geral, qualquer atividade com um componente criativo. Achei as perguntas interessantes, a ponto de permitir traçar um bom perfil profissional, ainda que aproximado, do entrevistado. Confira abaixo. Se gostar, visite o site e veja outros entrevistados.


Que matérias você ensina? Que tipo de alunos você tem?
Minha formação é em Física (Licenciatura Plena), mas já lecionei Matemática e Química. Nos últimos 10 anos trabalho com Informática Educativa, em Cursos de Formação de Professores. Meus alunos são todos professores das redes estadual e municipal em Belém-Pará.
Algum link onde possamos ver que você faz ou o centro onde você trabalha?
http://esteblogminharua.blogspot.com/
http://ntebelempa.blogspot.com/
http://niedbelem.blogspot.com/
Que experiências do passado o levaram a dedicar-se a isto? Como se despertou em você a vocação educadora?
Na verdade não sei como essa vocação despertou. Nunca pensei em ser professor. Queria ser arquiteto, engenheiro, inventor. Quando percebi já era professor.... Ai descobri que essa é a minha missão nesta vida.
Que mestre ou mestra foi mais influente em você, e por quê?
Durante a Universidade foi o prof. Hélio da Rocha Pitta, pela sua inventividade e criatividade. Na pós-graduação a professora Léa Fagundes, por sua energia, inteligência e dedicação à educação mediada por computadores.
Como você definiria sua filosofia docente?
Minha filosofia é baseada num olhar holístico de educação, na complexidade, no construtivismo-interacionismo.
Que aspecto da profissão representa um maior desafio para você?
O principal desafio é fazer com que o estudante goste de aprender, que goste da escola, da matéria. É convencer o educando da importância de estudar. É ter sempre uma aula interessante, prazerosa, construtiva, e transmitir os conteúdos de maneira eficiente. Também é convencer os outros professores a usarem os recursos da informática, disponíveis nas Salas de Informática das escolas, em sua práxis de sala de aula. Segue-se a isso o descontinuísmo das políticas públicas na área educacional e a falta de comprometimento de muitos políticos com a educação; a falta de visão dos gestores e diretores de escola para muitos aspectos da educação, mormente aquela mediada por computadores e a acomodação/conservadorismo de alguns colegas de profissão.
Que tipo de relação você estabelece com seus alunos/as?
Meus atuais alunos são todos professores, formados ou em formação, portanto mantenho um dialógo aberto e fraterno, mas com cobranças e críticas quando necessário.
Qual é o segredo para infundir curiosidade pelo conhecimento?
 Isso não é tarefa fácil e nem é segredo, pois não há uma fórmula para isso. Gosto de ensinar no estado da arte, e entendo que para despertar a curiosidade no estudante, para que ele tenha uma aprendizagem significativa, o professor deve ser apaixonado pelo que faz. Acho que muito contribui se o professor apresentar seu conteúdo de forma original, contextualizada e criativa, envolvendo o educando.
Qual é seu critério a respeito de pôr tarefas para a casa e sobre pontuação?
 O processo avaliativo é algo muito complexo, nem sempre justo e eficiente; e quando um aluno traz as tarefas prontas de casa, nem sempre isso é o resultado de uma reflexão sobre os desafios apresentados na tarefa. Por outro lado, ao levar tarefas para casa ele tem a chance de estar naquilo que Vygotsky chamava de "zona de desenvolvimento proximal", isto é, envolver seus pais ou alguém com maior conhecimento, e assim melhorar seu aprendizado e possibilitar novas articulações construtivas de saberes.
É possível ensinar/aprender criatividade? Como?
Comenius (J.A. Comênius) já afirmava, à quase 500 anos, que é possível ensinar tudo a todos. Ao longo da história moderna as ferramentas tecnológicas sempre foram introduzidas na escola com intuito de promover melhorias no processo ensino-aprendizagem. Atualmente temos os computadores como as mais significativas e importantes ferramentas auxiliares da educação. Tenho confiança no papel dos computadores em rede e na sua eficiência como promotores de um aprendizado condizente com os novos tempos. Mas a formação dos professores ainda é muito deficitária.
Como você se faz respeitar na aula? O que você faz quando surge um problema de disciplina?
O domínio do conteúdo contribui para o respeito, mas a relação afetuosa entre aluno e professor é fundamental. Hoje não tenho esse tipo de problemas, mas quando tinha, resolvia-os na própria sala. Mas já usei das prerrogativas de professor e agi com rigor.
Como você individualiza o ensino? Como você lida com os diferentes níveis dos estudantes de uma mesma aula?
Atualmente vejo o desnível das habilidades e competências em Informática na educação, dentre vários professores que participam dos cursos e oficinas que ministro. Procuro atender cada um de per si, tentando mostrar que o próprio aplicativo ajuda-o a aprender. Mas sempre estou exigindo deles atenção, observação e reflexão sobre o que estão fazendo, como forma de construírem seus conhecimentos na área.
Que significa para você aprendizado colaborativo? Como o põe em prática?
 Um aprendizado feito com a participação de outro é sempre colaborativo. Nas aulas desenvolvidas nas salas de informática das escolas buscamos trabalhar nessa perspectiva, colocando dois alunos por máquina: um sempre acaba ajudando o outro e ambos aprendem. Na metodologia de projetos trabalha-se muito sobre esse eixo.
O que você espera de seus supervisores? Que qualidades você valoriza na pessoa que dirige o centro?
Segurança no que propõe, clareza nas exposições e compreensão nas execuções.
Que assuntos a debate sobre ensino são de maior interesse para você?
Educação de modo geral, mas com ênfase no ensino mediado por computadores, nas Tecnologias na Educação, Educação Matemática, Formação de professores.
Seria bom que os professores tivessem incentivo econômico em função dos resultados escolares de seus alunos? Não concordo. O certo seria que os professores recebessem um pagamento condigno com a responsabilidade e relevância de sua atividade.
Além de mais recursos, que falta nas escolas de nosso tempo?
Falta que a sociedade compreenda que a escola não é um corpo isolado, mas um elemento constitutivo da própria sociedade, que recebe sua influência direta e tenta lidar com as diversas tendências que essa influência constrói no indivíduo. A Escola é formada por todas as instituições criadas pelo homem, sejam militares, religiosas, culturais, científicas etc. E a educação não é compromisso exclusivo de professores, mas de todos, indistintamente.
Como é a tecnologia que você utiliza habitualmente nas aulas?
Utilizo computadores em rede, Internet e objetos de aprendizagem.
Em frente às novas tecnologias, há que reinventar a escola, seus métodos e objetivos?
Reinventar não, nem remodelar, mas 'transmutar'. A escola sempre teve ao seu dispor, a cada momento histórico, todas as tecnologias disponíveis, mas nunca soube o que fazer direito com elas. Atualmente, com a Informática, temos uma chance de desenvolver novos caminhos. Para isso os métodos e objetivos da escola devem se ajustar as novas ferramentas, a nova sociedade muldializada e ao novo homem, o homem planetário.
Se você pudesse criar uma escola ideal, como seria?
Seria uma escola em que cada um aprendesse o que lhe desse prazer e satisfação. Mas para isso tería que viver numa sociedade ideal. Você conhece alguma?
Como você imagina que será uma escola daqui a 20 anos?
 Como será a escola não sei, mas como será o aluno posso ter uma idéia. Acho que serão estudantes mais participativos, mas ativos, mais investigativos e com maior domínio das diversas ferramentas de interação social disponíveis e a surgirem. Terão muito mais habilidade em buscar a informação desejada e construirão mais rapidamente seus saberes; e provavelmente serão os autores, ou co-autores, de muitas dessas informações.
Quais são suas metas pessoais? O que você gostaria de estar fazendo daqui a cinco anos?
Gostaria de estar aposentado, mas produtivamente. Quero concluir uns projetos de livros iniciados faz algum tempo.
Que qualidades você deve em alguém para aconselhar-lhe a dedicar-se ao ensino?
Gostar de ensinar e de aprender, ser investigativo, criativo e ter muita imaginação.  

8 comentários:

Lenira, Deolinda, Claudiane, Vanda disse...

Aí Franz, achei as perguntas um tanto instigantes. Nos levam a traçar um perfil mais definido e, de repente, a pensar mais profundamente sobre diversas questões à nosso respeito...

Gostei...

Prof. Adinalzir disse...

Caro Franz

Achei ótima a metodologia empregada nas perguntas. E as suas respostas fecharam com chave de ouro todas as questões. Parabéns!

Também achei o site uma idéia genial. Fantástico para mim até o momento... Valeu mesmo!

Abraços aqui deste Rio de Janeiro em pleno verão. E com nuvens carregadas. :-)

Franz disse...

Oi, meninas do Alfabetização em Foco, obrigado pela visita.
Foi exatamente isso que senti ao responder as perguntas formuladas. Pude fazer uma introspecção e re-avaliar alguns conceitos. Tb. Gostei.
Ah! Passei lá no blog e deixei um abraço. Voltem sempre.

Franz disse...

Oi, Adinalzir, velho companheiro e caminhante dessa Rua, obrigado pela visita e pelas palavras de elogio.
Franz

lemaposerra disse...

Estou curiosa quanto à "transmutação": acontece frequentemente?

Também gostei...

Rocio Rodi disse...

Olá Franz!
Gosto de saber que você é de Física, pensei que fosse matemático. Também leio perfis dos blogueiros e ao ler suas postagens procuro conhecê-lo mais. A alma salta por entre linhas e nas entrelinhas dos dizeres. Estava lendo sobre o cérebro e a aprendizagem, a música barroca e as superaprendizagens... O lado esquerdo do cérebro nos leva a conhecer pessoas intuitivas, serenas e lógicas e você traz essa mistura de comunicação, pensamento largo e sintético, profundo e se faz verdadeiro nos argumentos. Muito bom! Adorei a entrevista também, nos faz revisitar passagens e vislumbrar novos discursos, caminhos e textualidades. Até!

Josete disse...

Oi Franz!
Eu também leio os perfis a fim de conhecer melhor quem escreve e por que escreve. Gostei muito do post!
Adoraria ter mais tempo só para ler mais artigos no seu blog, que é tão especial!
Passei para agradecer a visita ao meu blog Informática Educativa e dizer-lhe que desejo um ano novo repleto de novidades, saúde e trabalho. Afinal, nós gostamos muito de trabalho, não é mesmo? E só com saúde poderemos dá conta de tantas coisas! Grande abraço também para os Paraenses!
Josete

Josefina disse...

Caro Franz,
Estou tentando fazer contato com você através dos e-mails que estão
no livro PAINEL DE LENDAS & MITOS DA AMAZÔNIA e eles retornaram, pois não encontram o destinatário. Estou fazendo um trabalho de pesquisa sobre as Lendas da Amazônia e a pessoa que me solicitou, gostaria de fazer contato com você para ajudá-la num trabalho de consultoria. Se você puder envie um e-mail para mim,pois só dessa maneira, acho que poderemos nos falar. Grata pela atenção. Josefina.
Meu e-mail: jnery2004@uol.com.br

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum