segunda-feira, 6 de outubro de 2008

ELEIÇÕES OBRIGATÓRIAS É DEMOCRACIA?

Entramos no mês de outubro com as eleições municipais agitando a população. A mídia diz tudo é uma festa da democracia, que o eleitor exerce assim seu direito de cidadania, e quer fazer crer ao indivíduo que aquilo que ele está o-bri-ga-do a fazer é um di-rei-to, e ainda arremata com o reforço de “democrático”.

Nesse cenário de obrigatoriedade, os votos são favas contadas pelos políticos. Basta eles, quando muito, se esforçarem um pouco para abocanhar uma fatia desse bolo. E temos visto que muitos candidatos dizem besteiras ao léu, e ainda assim ganham votos. Entramos no mês de outubro com as eleições municipais agitando a população. A mídia diz tudo é uma festa da democracia, que o eleitor exerce assim seu direito de cidadania, e quer fazer crer ao indivíduo que aquilo que ele está o-bri-ga-do a fazer é um di-rei-to, e ainda arremata com o reforço de “democrático”.

Diante dessa farsa do autoritarismo, me pergunto como pode ser um direito se o cidadão está obrigado a votar, a optar por um ou noutro candidato, e o voto em branco ou nulo são desencorajados? Acho engraçado essa argumentação. Meu falecido pai diria que é um sofisma que a inteligentzia emprega como arremedo de “ato cívico”. O pior é que tem muita gente que acredita!

Se uma pessoa disser que vai votar em branco ou nulo, porque não considera os candidatos apresentados como merecedores de seu voto, logo surge alguém para condenar e criticar ferozmente esse seu direito, dizendo que ele não está fazendo sua parte, que isso que aquilo. E se o coitado decidir não ir votar, tá lascado! Vai sofrer uma série de punições pra deixar de se besta e não querer seguir a manada.

Eu quero escolher meus candidatos não porque a nação me elegeu um eleitor, mas porque eu escolhi ser um cidadão participe do processo, um indivíduo que sabe o valor de seu ato político e que tem no voto seu instrumento para construir um futuro mais promissor para sua comunidade. E isso só chegará quando o voto não for obrigatório. Espero estar vivo até lá.

3 comentários:

Marcos do Tempo disse...

E quando a gente consegue achar um representante de fato, consciente do seu papel, o cara perde pra um bando de marqueteiro e pastor...
Fazer o quê, né!

Prof. Adinalzir disse...

Caro Franz

Confesso que não conhecia essa sua postagem. São palavras verdadeiras e conscientes sobre um tema que deveria ser levado muito a sério por todos os brasileiros. Desde 2007 eu já venho anulando o meu voto pelas mesmas razões.

Concordo plenamente com você!

Abraços aqui deste Rio de Janeiro com céu estrelado.

Jenny Horta disse...

Concordo plenamente com você. Conheço pessoas que votam num determinado candidato por um motivo qualquer, até por ser "bonitão ou boazuda". Se o voto não fosse obrigatório, só quem leva política a sério votaria e o faria realmente com consciência! Os políticos também sabem que isso é verdade e por isso mantem o voto obrigatório: para manipular os que são manipuláveis!

No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum