segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

CENAS DE BELÉM 8

Estamos em mais um final de mês, e como soe acontecer todo fim de mês este Blog apresenta a série "Cenas de Belém", com imagens captadas durante o mês no meu ir e vir cotidiano. Começarei com um protesto recorrente neste blog: o lixo na cidade. É  uma vergonha!
Não vou condenar o serviço de coleta de lixo da PMB, mas  sim o povo  que tem se esmerado em  transformar Belém na capital mais suja do país, ainda que algumas pessoas lutem á sua maneira para impedir isso... 
Foto: Antonio Sales

O lugar dessa foto fica ao lado da Universidade da Amazônia-UNAMA, na esquina com a Av. Pedro Miranda, onde o lixo tomou metade da rua.
Este mês de janeiro tem trazido tanta chuva que, frequentemente, temos "casamento de viúva" (Sol e chuva ) ou "casamento de espanhol" (chuva e Sol).

Pero que los ay los ay



E para finalizar, no sábado passado, na bucólica ilha de Mosqueiro (distrito de Belém, há cerca de 60km da capital), o registro de um banco onde quase ninguém quer sentar-se.

Note-se o detalhe dos chifres de búfalo afixados no tronco da mangieira, imediatamente sobre a placa.

O banco está vazio... pero que los ay los ay.


* Créditos das Imagens: Todas as fotosd do blogueiro exceto a primeira. 

sábado, 22 de janeiro de 2011

3º Aniversário do Blog

Participe da Promoção de Aniversário do Blog.
 No dia 13 de fevereiro este blog comemora 3 anos.
  Deixe seu comentário e concorra a um brinde bem legal.   

Gostaria de convidar a todos para compartilharem comigo desse bolo virtual, mas de um real e verdadeiro "Muito Obrigado". A exemplo do que fiz nos aniversários anteriores, vou sortear um brinde bem legal entre os comentários recebidos a partir do dia 13 de janeiro até 13 de fevereiro. Participe!

Abaixo algumas postagens relacionadas.
 2º aniversário do blog
Resultado da Promoção-2º Aniversário 
Instigar é Papel dos Blogs 
Minhas mãos, meu blog...
Quando um blog dá prazer
1º aniversário do Blog
Meu blog, meu currículo

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

BELÉM QUASE QUATROCENTONA

Bembelelém, Viva Belém! Nortista gostosa, eu te quero bem” (M.Bandeira)
Bela Belém EU te quero bem... Bela Belém, TEU povo não te quer bem.


Começo essa postagem de homenagem à Belém com um trecho da poesia de Manoel Bandeira dedicada à essa mangueirosa cidade. Depois, em contraponto, segue um verso meu para expressar a tristeza que sinto ao contemplar o estado em que se encontra essa cidade que me adotou/adotei há 30 anos. 
Depósito de lixo ao lado do CESEP- Jan/2011

Hoje, dia 12 de janeiro, Belém comemora 395 anos. Faltam  apenas 5 para ela ser uma cidade quatrocentona, mas tem pouco do que se orgulhar.

Para começar, Belém é a 3ª cidade mais suja do Brasil e com um custo de vida alto. Segundo o IBGE, ela fechou o ano de 2010 como a capital brasileira com o maior índice de inflação.

Belém tem a maior frota de carros novos do país, no entanto seu um trânsito é dos mais desorganizados, e o índice de violência aumenta assustadoramente.

Bela Belém, pobre Belém, TEU povo não te quer bem...

Mas apesar disso tudo eu continuo seduzido por ti, Belém e canto com Chico Sena: "Belém, Belém, acordou a feira que é bem na beira do Guajará. Belém, Belém, menina morena vem ver o peso do meu cantar. Belém, Belém, és minha bandeira, és a flor que cheira do Grão Pará".  (Chico Sena)

Leia a excelente entrevista do arquiteto Flávio Nassar sobre os problemas de Belém clicando AQUI.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A Matemática Moderna & a Matemática Atual

Quem me conhece sabe que sou um tanto saudosista (também, filho de historiador e arqueólogo!...). Eis porque fico num contentamento de gato com bringuedo novo quando encontro ícones de meu passado.  E hoje encontrei o velho e consagrado livro de Matemática* do célebre professor Ary Quintella (1906-1968). Rever capa de Eugênio  Hirsch e as ilustrações do arquiteto Hugo Ribeiro me encheram de prazer juvenil.

Na minha época todo aluno do Curso Ginasial estudava nos livros do Ary Quitella ou nos de Osvaldo Sangiorgi.  Nessa época, o estudante para ingressar no ginásio deveria fazer o curso de "Admissão ao Ginásio". Havia, inclusive, um livro do Quintella dedicado a isso.

Assim, ao folhear essas páginas amareladas, sentir o cheiro de livro velho -sem ser mofado-, cheiro que confere  importância, dignidade, que até sacraliza a obra, me vi no velho Colégio Afrânio Peixoto (Nova Iguaçu-RJ). O Prof. Ruy Afrânio Peixoto foi padrinho do Kisnat, meu irmão, e meu pai foi secretário do colégio.

Mas folhear esse livro me fez a subir o morro e caminhar na sombra  das muitas árvores do Colégio Afrânio Peixoto. Observei as inúmeras casinhas de passarinho que fazíamos nas aulas de arte, e que ficavam penduradas nos galhos. Voltei  à sala de aula, quando mergulhava nas páginas desse livro tentando entender tantas abstrações presentes na então chamada Matemática Moderna

O programa de ensino de Matemática Moderna adotado no Brasil a partir da década de 1960 teve em Quitella seu precursor. Eis porque sua obra é motivo de estudo para a História do Ensino de Matemática no Brasil. 

Nos anos 1980, já lecionando Matemática na rede pública paraense, ainda empregávamos a Matemática Moderna, e por conta de sua ênfase na Teorias dos Conjunto a gente costumava chamar isso de "conjuntivite".

Esse livro do Ary Quintella está tão distante dos modernos livros didáticos de Matemática quanto um fusca de uma ferrari, ou um  386 de  um  IPad. Apesar de contar com metodologias inovadoras e novos recursos didáticos, com livros didáticos cada vez mais contextualizados, belos e caros, parece que o ensino de Matemática está cada vez mais difícil, e sua aprendizagem também.


Leia sobre o Movimento de Matemática Moderna AQUI.

* Matemática - Curso Ginasial (2º Volume)- Cia. Editora Nacional. SP. 1965. 55ª edição.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Vem aí a avaliação de desempenho dos professores da SEDUC

Educação, Saúde e Segurança é o tripé social de todo bom governo, de qualquer governo que se prese. O governo anterior teve sérios problemas nessas três áreas, por conta de suas alianças e de algumas decisões mal orientadas ou mal assessoradas. 

Pesando os prós e contras eu ainda acho que seus pontos favoráveis pesam mais, mesmo que digam a governadora Ana Júlia (PT) deveria ter tido mais pulso, segurar com mais força o timão do barco que comandava, combater melhor os escândalos e crises que espocaram etc e tal.

Novo Secretário de Educação promete avaliar os Professores da SEDUC
Mas, meu foco é a educação, que está muito da capenga e coxeando bem antes do governo petista.

Já manifestei aqui minha preocupação com os rumos que as políticas públicas em Informática Educativa, instituídas na gestão passada,  sofresse alguma desaceleração no novo governo, posto que no passado esse mesmo governo não teve bons olhos para essa área. Contudo,  a escolha do  novo titular da Secretaria de Estado de Educação, o Prof.Dr. Nilson Pinto (PSDB), que provou ser um excelente administrador quando reitor da UFPA, me deixou com  boas expectativas. Credibilidade e bagagem ele tem, e de sobra.

Segundo li no jornal, Nilson Pinto vai promover a melhoria da qualidade do ensino estadual (educação básica) com as seguintes ações: 1-formação de professores; 2-condições adequadas para a prática do ensino; 3-boas condições de trabalho para o servidor e 4-estímulo ao desempenho. 

Bem, que o caminho é esse não há dúvidas (inclusive nessa mesma ordem), até porque vejo a presença das Tecnologias da Informação e Comunicação, com ênfase na Informática, imbricadas nas quatro ações, sendo que na última (estímulo ao desempenho) acho que ele poderia retornar com o antigo projeto "Computador do Professor", e quem sabe instituir o "Laptop do Professor".

Mas... sempre há um "mas", não é mesmo? Essas  suas duas frases “Queremos estimular a criatividade, o conhecimento e valorizar o mérito” e  “A avaliação não é um instrumento de punição, é um instrumento de superação de deficiências”, me deixaram ressabiado.

Acredito que a criação de um sistema de avaliação do servidor se faz necessário,  e que pode ser uma ferramenta poderosa para promover as ansiadas melhorias, mas porque abandonar o  já aprovado Plano de  Cargos e Carreira dos  Profissionais da Educação-PCCR da SEDUC? 

A responsabilidade é só dos Professores?

E mais, num sistema de avaliação de desempenho o grande problema fica por conta dos critérios de avaliação. Pelo que entendi, haverá metas a serem cumpridas. E me peguei pensando que critérios poderíamos ter: a) melhoria nos indicadores do SAEB? b) maiores notas na Prova Brasil, ENEM? c) Maior número de alunos aprovados ao fim do ano?  d) Prova aplicada aos professores lotados em sala de aula, conforme o famigerado modelo de São Paulo, que só responsabiliza os professores? (leia sobre AQUI e AQUI)

Sei que há maus profissionais na educação, maus professores, maus diretores e (des)orientadores pedagógicos, como os há em outros setores e profissões, e que permanecem por conta da estabilidade no serviço público. Porém, esses mesmos profissionais, quando estão no serviço privado são exemplares, ou fingem ser (eu já conheci alguns, você não?). Nesses, um pouco de pressão pode resultar em melhorias no comportamento profissional dentro da escola pública, contudo isso não garante que a aprendizagem de seus alunos será melhor. Ou garante?

E, nessa linha de avaliação, como esperar que alunos e professores de escolas situadas em bairros carentes e problemáticos, como Terra Firme (para pegar um exemplo da capital), tenham o mesmo desempenho de  alunos e professores de escolas situadas no corredor da Almirante Barroso ou no centro de Belém?

Torço pelo seu sucesso, professor Nilson Pinto. Torço de coração. Torço e rogo que não haja injustiças para esses já tão injustiçados profissionais. 

Boa sorte e Feliz 2011, 2012, 2013, 2014... para o senhor e todo o povo do Pará!

Crédito da imagem: Veja AQUI

domingo, 2 de janeiro de 2011

CENAS DE BELÉM 7

Como soe acontecer a cada fim de mês, este blog apresenta suas "Cenas de Belém". Este dezembro, por conta das tradicionais festas de fim de ano, essa popstagem atrasou um pouco. Em 2011 espero trazer novas e mais interessantes cenas desta cidade que adotei há 30 anos.

Começarei com o bonito e enorme presépio de ferro, montado no espelho d'água diante do Centro de Convenções de Belém-Hangar, e com as originais árvores de Natal de alumínio, plantadas no entorno do Hangar. Note que a iluminação especial causa um bonito efeito.
Ao lado, mais um dos inúmeros casarões do centro de Belém que estão desaparecendo para ceder espaço às construções modernas. Essas antigas construções de fachadas artisticamente decoradas, de pé-direito alto, janelões e grandes portas, mais que registro de uma época são patrimônio da cultura local. Desta só restou a fachada.  
E como gente esperta e gente tola existe em todo canto, vou apresentar uma forma de crime quase institucionalizado. A foto ao lado mostra um banner colocado no canteiro central da Av. Pedro Miranda, bairro da Pedreira (por sinal o bairro onde moro) anunciando a compra de vales transportes. Como se sabe, o Vale-Transporte é um benefício vinculado ao trabalho e concedido ao trabalhador, por isso seu uso  por terceiros é crime (parágrafo 3º da Lei 6.404/76).
Aqui em Belém, uma passagem de ônibus custa R$ 1,85, e os otários vendem, em média, por R$ 0,70. É como diz um ditado carioca: "Enquanto houver otário, malandro não passa fome."
No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum