domingo, 26 de dezembro de 2010

Então, foi Natal

Então, foi o Natal. 

Foi do verbo ir. Ir-se; findar-se; c'est fini. La fiesta appena cominciata è già finita. A festa do Natal é boa porque, como toda boa festa, acaba sempre no melhor. E, quase sempre, deixando aquela vontade de fazer com que a próxima seja melhor ainda.

Foi-se o Natal. Foi-se pra ser o que é e tem sido há quase dois milênios: expectativa. Expectativa de uma sociedade melhor, uma Terra de Harmonia, Paz, Saúde e Prosperidade. Eis, pois, que o Homem vive de expectativas, posto que a esperança é a última que se vai.

Acho que um estado de permanente Natal parece ser impossível ao humano ser. Pelo menos enquanto existir o Ego como regente das ações humanas. No entanto Natal é a libertação desse domínio. Porém, é extremamente difícil impedir o Ego de comandar nossos atos. Eis porque o exemplo do Cristo é tão fácil de ser falado e tão difícil de ser seguido. 

E, então, foi Natal. Que venha o Ano Novo. E tudo começar. De novo e de novo. Rodando na roda de Samsara.  

Desejo a todos os que já caminharam por Esta Rua que é Meu Blog que em 2011 possamos aprender a nos libertar de nosso Ego e enxergar no próximo nosso outro Eu. 

Crédito: Imagem obtida na URL http://dharmatrix.blogspot.com/ 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Transferência de Tecnologia - Interação Universidades/Empresas

Neste 2º dia de apresentações na Feira Internacional de Ciências e Tecnologia da Amazônia, assisti pela manhã a palestra do Prof. Dr. Luis Otávio Pimentel (UFSC), com o tema: Contratos de Transferência de Tecnologia-Interação Universidades / Empresas.  

Com uma apresentação didática e muito bem montada - como se poderá ver a seguir - Pimentel falou sobre o papel das Instituições de Ciência e Tecnologia, dos desafios e perspectivas de pesquisadores, governos e empresários no campo da Inovação, da transformação do conhecimento em dinheiro. Falou sobre parcerias, contratos, transferência de tecnologia etc, para que o Brasil alcance maior desenvolvimento.

Sua apresentação está tão bem estruturada que basta acompanhar os slides para compreender o conteúdo do seu discurso. Gostei e lhe pedi permissão para divulgar aqui no blog. Confira abaixo.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ciência e Tecnologia para Todos

Cerimônia de abertura 
Com o slogan "Ciência para todo o mundo", começou nesta terça-feira, dia 14/12, a Feira Internacional de Ciência e Tecnologia da Amazônia, que acontece no Hangar-Centro de Convenções da Amazônia até o próximo dia 16.

A abertura contou com a presença da Governadora Ana Júlia Carepa, do reitor da Universidade Federal do Oeste do Pará, Prof. José S. Lourenço, do Sr. Maurílio Monteiro, Secretário de Estado de Ciência e Tëcnologia, dentre outras autoridades. E a conferência de abertura coube ao Prof. Wladimir Miranda, catedrático da Universidade do Porto.


A governadora aproveitou a ocasião para fazer um rápido balanço de seus 4 anos de mandato, esclarecendo que seu governo privilegiou ações voltadas para o futuro e não ações eleitoreiras, como por exemplo, a criação de um modelo de governo baseado no desenvolvimento e na inovação tecnológica, foco diretamente oposto que o governo anterior adotou.

Ana Júlia resaltou que o Pará era um dos poucos estados que não tinha uma Fundação de Amparo a Pesquisa. Fundações dessa naturezas são vitais para o desenvolvimento do estado e da nação, visto que contribuem largamente para a pesquisa em Ciência e Tecnologia, cujos produtos chegam às empresas e retornam ao cidadão em forma de benefícios. Nessa perspectiva ela deixa a implantada FAPESP. Também, em seu governo, foi criado o Parque Tecnológico do Pará - que será inaugurado dia 28/12 -, e há mais 2 previstos, um em Marabá e outro em Santarém.

Dentre os  modernos governantes paraenses esse blogueiro considera gestão da Governadora Ana Júlia como a que mais esforço desprendeu no sentido de desenvolver, apoiar e estimular projetos focados na Educação, na Ciência e Tecnologia. Seu governo cometeu erros, mas entendo que seus acertos superaram seus erros. A História haverá de lhe dar o devido valor.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Como será a Próxima Guerra Mundial?

A revolução se dará pela Internet
Depois da II Guerra Mundial o físico Albert Einstein disse: "I know not with what weapons World War III will be fought, but World War IV will be fought with sticks and stones."* Isso porque ele não conhecia a Internet. Se conhecesse, provavelmente diria que a III Guerra Mundial seria cibernética; logo, a IV não poderia ser com paus e pedras. 
Mas, naqueles tempos não existia a possibilidade, sequer sonhada, da Internet. Nem se poderia prever o impacto que os computadores em rede e sua consorte, a Internet,  viria promover na sociedade humana a partir da décade de 1990. A Internt afetaria todas as formas de troca de informação e de interação social, fosse nas relações privadas e/ou profissionais, fossem culturais e/ou educacionais; bem como econômica, política, ideológica, religiosa. O poder dessa mídia cresce tão veloz e exponencialente que assusta e intimida governos e corporações. Eis porque há tantos grupos que querem controlar a Internet e deter esse poder em suas mãos. A começar pela criação de leis e punições para quem acessa bancos de dados  governamentais através da Internet e divulga informações sigilosas. 
 
 Ora, as ações dos governos não deveriam ser, TODAS, transparentes? Porque o cidadão contribuinte deve ser mantido no obscurantismo, recebendo apenas a ração de informações que o governo lhe destina? O papel da mídia é mostrar a verdade, é falar "com a língua reta". É contribuir para que todo cidadão possa encontrar a informação honesta e verdadeira num banco de dados universal. Mas isso ainda não acontece
 E é aí que entra a Web 2.0 e sua próxima geração, a web semântica, ou Web 3.0. Essa é a proposta do site WikiLeaks, que a meu ver é o precursor da Web 3.0 pré-semântica. Mas há interesses em não deixar que a verdade seja revelada, e  há grupos que tentam censurar a Internt, tentam engessar a Web, por grilhões nos pés de Mercúrio.
O principal alvo tem sido o site WL. Por isso que seu fundador, Julian Assange, foi perseguido e preso recentemente. O site tem recebido constantes ataques do governo norteamericano desde que começou a divulgar documentos sigilosos da diplomacia americana. Um dos mais impactantes desses documentos são os que envolvem a Guerra do Iraque. Um dos documetnos é um vídeo com cerca de 40 minutos, que mostra a morte de jornalistas da Reuters e  de cidadãos, inclusive uma criança, atingidos por uma metralhadora de 30mm ou 50mm, disparada de um helicóptero Apache. Aparentemente, eles confundiram o equipamento dos jornalistas com um RPG (lança granadas) e AK47!... 
É uma cena bárbara e violenta. Você pode ouvir a equipe do helicóptero trocando informações, recebendo a ordem da atirar, informando o número de  mortos,  trocando elogios pelo "belo tiro", etc. Depois, carros e soldados norteamericanos chegam ao local soldados e... percebem o erro. Há vários vídeos no Youtube com cenas tomadas do alto, dos Apaches,   mostrando puro e simples assassinato,  verdadeiras chacinas no Iraque, durante a invasão americana.

O ataque ao WikiLeaks é uma tentativa de impedir a divulgaçao dos fatos, e como se sabe, contra fatos não há argumentos. Hoje o site WikiLeaks tem mais de 1 mil de "mirrors", ou seja, sites espelhos. Além de milhares de milhares de defensores, apoiadores e internautas prontos a colaborar. O que está acontecendo com o WL pode ser o prenúncio de uma nova era da Web 2.0. Eis porque eu acho que a III Guerra Mundial será pela Internet. Não apenas uma guerra de informações, contrainformações, "leaks" etc, mas de ataque de harkers contra contas das mega corporações que financiam e se beneficiam com as guerras;  contra os bancos de dados de governos e insdústrias. Imagine a destruição dos bancos de dados da Bolsa de  Valores norteamericana, japonesa, européia e mesmo brasileira, que estragos não provocaria.

As armas nucleares poderão ser usadas numa III Guerra MUndial, também armas químicas, biológicas e radiológicas, mas se acontecer uma desativação desses mecanismos por intermédio de acesso aos seus bancos de dados; se acontecer um embaralhamento ou uma desarticulação dos sistemas de informação que alimentariam essa guerra, tais armas ficariam inúteis sucatas. Rogo por isso.

Este blog se alia na defesa dos interesses de uma Web livre, e no apoio ao WikiLeaks e seu fundador.
* Não sei como será a III G. Mundial, mas a IV será com paus e pedras
Leia Hackers assumem bandeira do WikiLeaks para iniciar 1ª 'Guerra da Informação' AQUI

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

CENAS DE BELEM 6

Nesta popstagem* venho retomar a minha proposta de apresentar a cada mês algumas "cenas de Belém", que esteve parada há dois meses.


Durante o mês de outubro Belém é palco de um espetáculo que surpreende o turista incidental e mesmo o turista contumaz. Falo do Círio de Nazaré, que começa oficialmente com a procissão da Trasladação, na noite que antecede a romaria, ou seja, na noite do segundo sábado de outubro. 

Apesar de acontecer durante a noite, essa procissão reúne centenas de milhares de pessoas, que se esfalfam puxando a corda que protege o andor com a berlinda (na foto a berlinda iluminada) , onde vai soberana a imagem da homenageada, N.S. de Nazaré. 

Outra cena comum em Belém surge a partir do mes de dezembro. É quando as centenas de mangueiras estão carregadas. Aí acontece algo só visto aqui: alguém ser atingido na cabeça por uma manga. Também é frequente que  parabrisas de carros quebrados e latarias sejam amassadas pelas mangas. Comigo já aconteceu de levar uma "mangada" no ombro e ter o carro atingido em dois lugares, no capô e no teto. Aliás, voce sabe que aqui é o único local do mundo que carro tem seguro contra manga? Pois é!!

Outra cena frequente nessa época do ano são os catadores de manga. Um sobe na árvore e joga as frutas ainda verdes ou "de vez" para o que fica embaixo. Este, com um saco de aniagem enfiado nos braços, apara a manga e coloca no carrinho. Depois sai à vendê-las. Uhh! Manga recém tirada do pé, com aquele cheirinho de resina... Uma delícia!


* *Escrevi popstagem (acima) por um erro de digitação, mas ao perceber o erro decidi mantê-lo e criar, a partir dele, um conceito (um neologismo, talvez) para referenciar as minhas postagens que retratassem símbolos retirados da cultura local, do imaginário da vida cotidiana, do cenário urbano dessa cosmopolita e provinciana Belém. Não tem pretensões de obra de arte, como a Pop Art.
Créditos: Fotos do autor
No TOP BLOG 2011 ficamos entre os 100 melhores da categoria. Pode ser pouco para uns, mas para mim é motivo de orgulho e satisfação.
Sou muito grato a todos que passaram por essa rua que é meu blog e deram seu voto. Cord ad Cord Loquir Tum